quarta-feira, 28 de março de 2018

Legado Lula

Muitos brasileiros são favor ao Lula...muitos são contra...muitos são sem opinião.
Não indo ao mérito se ele é culpado ou inocente, mas vamos falar da questão de dignidade, respeito, cumprimento cívico.
Se um cidadão comum precisa ter respeito com uma autoridade, porque ele, por ter sido um ex-presidente não precisa respeitar?
Se um cidadão comum, que queira se candidatar para um cargo público passa pelo ficha limpa, caso não esteja enquadrado no ficha limpa, não pode se candidatar, por que ele não cumpre a mesma regra?
Se os demais políticos, possuem uma data específica para iniciar a campanha eleitoral, por que ele pode se antecipar e já iniciar antes dos demais sem ser penalizado?
Temos muito que pensar, analisar e avaliar, antes de sair criticando. Temos que olhar para os nossos defeitos, nossas falhas e nossos erros.

As redes sociais e o direito à privacidade

A importância do direito à privacidade é tão grande que a própria pessoa, ainda que deseje, não pode renunciar ou abdicar dele. Isto porque, segundo a Constitucional Federal (artigo 5º, X), são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem, assegurado o direito à indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação.
A exposição das pessoas, de suas famílias, hábitos, preferências e dados nas redes sociais são tamanhos, que existem estudos e inúmeras matérias visando conscientizar a população sobre o uso imoderado da internet. Os estudos e apelos, todavia, apontam para um “mundo incontrolável”, no qual ainda não é possível avaliar as extensões dos riscos versus benefícios, pois ao mesmo tempo em que se ganhou maior divulgação do conhecimento e das ideias, inclusive com encurtamento e aproximação das pessoas, abriu-se espaço para situações muito perigosas.
As pessoas físicas que se expõem nas redes sociais estão sofrendo todo tipo de ataque. Seus desafetos acabam criando situações constrangedoras que, quando atingem as redes, tornam-se um caminho sem volta. A mentira passa a ser verdade e ponto final.
Não é raro que as pessoas se descuidem e postem informações nas redes sociais que possam ir contra seus interesses e acarretam, inclusive, a perda de amigos, família, emprego, etc...
Existem grupos de pessoas mal intencionadas, que se especializaram em retirar informações da rede para uso em golpes, seja virtual, ou presencial. Um exemplo recente é o uso das postagens online e ontime. Isto ocorre quando alguém informa na rede que em determinado dia e hora está em determinado local. Quando esta pessoa chega descobre que foi visitada por assaltantes. Os bandidos aproveitam a informação, calculam o tempo que a pessoa levaria do lugar onde está até sua residência e fazem o assalto neste intervalo.
As pessoas jurídicas, por sua vez, embora utilizem a internet como meio de divulgação e venda de seus produtos ou serviços, inúmeras vezes se veem acuadas por informações também inverídicas e que podem levar seu negócio a derrocada, ou quando não, a prejuízos de grande monta, contra os quais a empresa precisa trabalhar durante meses e meses no vermelho.
O poder público, de modo geral, não tem condições de controlar, ou mesmo impedir que determinadas informações sejam veiculadas ou depois sejam retiradas da internet, pois a partir do momento que apenas uma pessoa recebe determinado arquivo e repassa a sua rede de contatos, não há mais como segurar a corrente de e-mails que se forma com uma rápida disseminação.
O Poder Judiciário está às voltas com inúmeras liminares determinando a retirada de determinadas publicações das redes sociais. Todavia, tais liminares são cumpridas parcialmente, pois após a primeira divulgação, como já exposto, não há como proibir o “resto do mundo” de continuar reencaminhando o arquivo indefinidamente.
A situação chega a ser engraçada, para não dizer tragicômica, pois as varas de família, as varas empresariais, as varas cíveis, enfim, estão resolvendo conflitos gerados na internet, com casos em que marido descobre traição de mulher e vice-versa, empresas falam mal das concorrentes, clientes reclamam dos fornecedores e por aí vai. Há situações graves e que merecem atenção do Poder Judiciário, outras, no entanto, nem deveriam sair da virtualidade, pois não há relevância ou interesse, seja individual ou coletivo.
A graça ainda continua quando numa mesma mesa, num restaurante, todos estão conectados com seus iphones, smartphones e ipads, mas não trocam uma palavra entre si. Para os tímidos, aparentemente, é o melhor dos mundos. Ele não perceberam, entretanto, que não haverá razão ou chance para mudança de postura, aprendizado e crescimento para superar esta fragilidade.
Neste contexto, o tão prestigiado direito à privacidade, mesmo irrenunciável, foi rejeitado e está esquecido. O ser humano conseguiu atingir nível de exposição virtual tão severo, que ainda que deseje retornar a uma vida mais reservada, não terá meios hábeis para alcançar tal pretensão. Sobrará a expectativa que o tempo faça com que algumas coisas caiam no esquecimento.
Como sabido, o tempo é o senhor de tudo e por enquanto é a única cura para exposição demasiada e irregular nas redes sociais, pois, infelizmente, nenhum órgão público, nem mesmo o Poder Judiciário, pode conter a fúria e a velocidade deste meio de comunicação e divulgação de dados.
A internet é deste tempo e do tempo que virá, cada vez com mais força. Todavia, não se deve esquecer que a honra tem valor, que a vida real é mais emocionante e que só ela pode deixar marcas e histórias que são passadas de geração em geração, possibilitando o engrandecimento da humanidade.
Adriana D’Avila Oliveira, pós-graduada em Direito Empresarial e Direito Processual Civil, membro do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB-PR e do Instituto dos Advogados do Paraná.

Fonte: http://gazetadopovo.com.br

quinta-feira, 8 de março de 2018

Dia internacional da mulher

Olha, ser mulher não é fácil.
Sinceramente, não sei se os antigos tinham uma vida melhor ou atualmente.
Antes a mulher cuidava da casa, do marido, dos filhos. Mas era forte, estava sempre presente.
Mas por mais que tinha todas estas funções, que não são fáceis, não era valorizada.
Hoje, a mulher, cuida da casa, do marido, dos filhos, trabalham fora, ajudam a sustentar a casa, umas solteiras que moram com a família, ou independentes que foram morar sozinha ou com amigas.
Independente de como seja, a função dobrou, as obrigações de casa, dificilmente são valorizadas, pois se tornou algo que faz parte da função da mulher.
Se pararmos para pensar, as funções de casa, seja para manter a ordem, cozinhar, cuidar de filhos, não é valorizado, raros os homens que valorizam estas funções. Na área profissional, é outro incógnita, pois muitas vezes a mulher realiza a mesma função do homem, outras vezes faz muito mas que o homem, mas o salário é reduzido, essa visão vem dos antigos, onde o homem teria que ganhar mais por sustentar a casa.
Mas nos dias atuais, quem sustenta a casa? Será apenas o homem? Ou existe uma coparticipação da mulher?
Somos fortes, mas ao mesmo tempo somos frágeis.
Não basta um dia para receber mensagens que nos digam o que já sabemos....que somos corajosas, guerreiras, fortes, inteligentes.....
Eu imagino que merecemos ser valorizadas. Não importa o sexo, se masculino ou feminino, o que importa é que somos um ser humano. Realizamos várias funções e merecemos como qualquer pessoa, receber o real valor, em todas as atividades realizadas.

Criar um blog

Para criar um blog é simples, entramos em um site, onde possa se criar um blog, escolhemos um tema, nossas configurações e pronto, está criado.
O difícil é manter um blog. Independente da causa, se é para uso particular, para divulgar algo para amigos e familiares, ou se queremos ser público.
É claro que a grande maioria dos blogs são criados para que seja seguido pelo público em geral.
Mas escrever sempre, com frequência, com temas que as pessoas se interessam, não é nada fácil.
Tenho que tirar o chapéu à todos aqueles que criaram o blog, os mantém e ainda possui muitos seguidores, que não apenas seguem uma vez ou outra, mas que estão lá, presentes em cada publicação, podem não comentar, mas pelo menos leram o que foi escrito.
Isso é muito legal, pois faz sentido ao blog.

sábado, 28 de outubro de 2017

As pessoas deveriam prestar mais atenção, não apenas criticar sem ao menos entender

Hoje fico olhando os comentários que as pessoas postam, os repasses de mensagens e de vídeos.
As pessoas criticam, apoiam e nem leem ou entendem o que está acontecendo.
E cada vez mais isto está sendo comum.
Não existe mais um senso crítico, existe apenas a réplica, sem leitura, sem entendimento, sem compreensão.
Isso é o que??? Modismo??? Comodidade??? Querer estar no meio das redes sociais e não ficar para trás sem postar nada???
A mídia em si já está super carregada, são milhares de notícias que trafegam diariamente e a grande maioria sem filtro. Se continuarmos assim, a repassar notícias sem saber sua veracidade, sem saber se devemos concordar ou não, traz o caos que está já ocorrendo hoje.
Criticar mudanças sem ao menos saber se realmente é necessário é o que mais vejo hoje em dia.
Mas é como os especialistas dizem, as pessoas se acomodam e não gostam de mudar, mesmo que a mudança seja para melhorar.
É claro que tem muita coisa errada está acontecendo, que existem mudanças insanas, para esses casos sim, é preciso manifestar.
O Brasil está passando por uma crise econômica sem fim, as coisas não melhoram, a cada dia um novo escândalo que atrapalha mais ainda a economia. Quanto mais tempo demora para resolver, para punir, mais tempo a economia fica nesse caos.
O erro está no governo e na população, todos erram, a corrupção não está presente apenas nas empresas e no governo, existem pessoas físicas corruptas também. E isso que é preciso melhorar.
Veja o ocorrido de hoje pela manhã, alguns policiais pararam um carro na blitz, um carro todo irregular, motorista sem carteira, ninguém usava cinto de segurança, carga em cima das pessoas, ou seja, um carro que deveria ser multado, mas para não levar a multa, para não deixar o carro ser rebocado, o motorista paga R$ 150,00 aos policiais. Ou seja, a pessoa é errada, mas para ter um final de semana tranquilo e proceder em seu trajeto, prefere subornar um policial.
A pessoa é errada ao subornar, o policial é errado ao aceitar e não prender a pessoa por suborna a autoridade.
Mas isso é o mais comum, por isso que existe tantos problemas, por isso que temos medo de quem deveria nos proteger, se não existisse o suborno, seja de um policial, de um fiscal ou de qualquer outra pessoa, com certeza as coisas seriam melhores.
Essas notícias sim deveriam veicular, para que as pessoas se conscientizassem dos erros e o país poderia melhorar.
Não adianta querer cobrar do outro para ser correto, em primeiro lugar temos que olhar para dentro de nós e ver se estamos agindo de alguma forma errada.
Ao veicular uma notícia, um vídeo, ao comentar, devemos sempre analisar, para não cometer o mesmo erro de outras pessoas.
Com certeza, se cada um fazer a sua parte, se cada um saber agir de forma correta, se cada um souber ler e entender antes de repassar, o país seria muito melhor.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Ser demitido é pior do que se divorciar, mostra pesquisa

Eu nunca fui demitida, mas parei para pensar e realmente deve ser mesmo.
Um relacionamento você coloca na balança e consegue entender os problemas que vinha convivendo.
Mas uma demissão, nem sempre entendemos o motivo que fomos demitidos, a empresa até poderá dar uma explicação, mas será que seria a verdade, se for por redução de custo e de repente alguém é promovido ou uma nova pessoa contratada, daí você já pensa, será que eu era o problema? Será que não estava realizando o esperado pela empresa? Mas porquê não conversaram comigo? Qual era a minha falha? São muitas e muitas perguntas que ficarão pendentes, que nunca saberemos, talvez por isso do resultado desta pesquisa.
Mas abaixo segue a reportagem publicada na revista exame. Boa leitura.

“Simplesmente não está funcionando” talvez seja uma das frases mais dolorosas de escutar - e é ainda pior quando vem do seu chefe.

Londres – “Simplesmente não está funcionando” talvez seja uma das frases mais dolorosas de escutar, porque leva a meses de angústia, auto questionamento e noites em claro. Mas é ainda pior quando essa frase vem do seu chefe.
Funcionários demitidos nunca conseguem recuperar completamente o nível de bem-estar, um indicador que inclui saúde mental, autoestima e satisfação com a vida, de acordo com dados fornecidos à Bloomberg nesta semana de uma análise de mais de 4.000 relatórios de pesquisa.
Perder um emprego pode ser um golpe duro, capaz de causar uma queda maior na satisfação com a vida do que enviuvar ou se divorciar, de acordo com a análise, realizada pela Universidade de East Anglia e do What Works Center for Wellbeing, um órgão independente montado pelo governo do Reino Unido.
Pessoas desempregadas vão ficando cada mais infelizes à medida que passam os anos. Sua maior esperança é encontrar um novo trabalho permanente — de preferência, com salário alto e muito prestígio — que consiga aliviar parte do choque.
Pessoas que perdem um parceiro, por outro lado, podem se recuperar.
“Depois que alguém perde um parceiro, [o bem-estar] cai profundamente e depois, em geral, volta aos níveis anteriores”, disse Tricia Curmi, do What Works Center for Wellbeing. “No entanto, não observamos isso em relação ao desemprego.”
O bem-estar dos homens britânicos volta aos níveis normais dois anos após a perda de um cônjuge e quatro anos após o fim de um relacionamento.
Mas e com a perda do emprego? Esse bem-estar continua declinando durante mais de quatro anos. Os homens têm maior probabilidade de sofrer mais com esse abalo do que as mulheres.
As pessoas podem superar lutos e divórcios. A empolgação de conhecer uma pessoa nova após uma separação pode fazer o coração disparar, mas as pessoas continuam sofrendo com o desemprego, de acordo com uma meta-análise de pesquisas realizada em 2011 por acadêmicos da Universidade Livre de Berlim.
Não há provas suficientes para afirmar irrefutavelmente por que ser despedido é tão devastador, mas pesquisadores vinculam isso à importância que damos a ter um emprego significativo.
“Nesta sociedade, ter um objetivo na vida significa estar trabalhando, contribuindo e ter esse status”, disse Curmi.
Apesar de resmungarem, as pessoas realmente dão importância para o trabalho que têm e ao apoio social que recebem dos colegas de trabalho.
Quase metade dos trabalhadores do Reino Unido está satisfeita com seu emprego e apenas 25 por cento estão insatisfeitos, de acordo com um relatório publicado no mês passado pelo Chartered Institute of Personnel and Development, uma associação de recursos humanos.
O impacto de ser demitido é particularmente acentuado entre trabalhadores mais jovens, mostra a pesquisa.
Ajuda da família e dos amigos pode aliviar os impactos piores. Pessoas extrovertidas se recuperam mais rapidamente, e até completamente, segundo a pesquisa.
A inspiração divina pode ajudar a aliviar a dor, disse Curmi. “Pessoas que frequentam igrejas regularmente sentiram um efeito de proteção em relação ao impacto do desemprego”, disse ela.
Fonte: exame.com

 

segunda-feira, 22 de maio de 2017

O caos político em um país chamado Brasil

Desde quando eu comecei a conhecer a política, sei que existe corrupção, pois sempre ouvia, todo político é ladrão.
Daí era de uma forma generalizada, que nem sempre é a verdade, mas sempre tinha a percepção de que a corrupção existia.
Mas até então, apenas ficava no fala, fala, não era descarada a roubalheira, existia, mas a gente não via aonde acontecia.
Agora começaram a contar, quem rouba, como rouba, aonde rouba, quem prejudica, quem se beneficia.
É tanta gente roubando, são tantos bilhões de reais, que é de ficar indignada mesmo.
Como que a ganância chega a este ponto.
Os políticos em si, já ganham tanto por pouco trabalho, possuem tantos benefícios, regalias, mesmo assim roubam.
E não é pouco, roubam para todos os lados.
Milionários roubam, políticos que já são ricos de berço roubam, gente, aonde vamos parar.
Não sou de direita e nem de esquerda, sou da política correta, daquele que realmente quer governar um país, daquele funcionário público que quer trabalhar e não se encostar, não importa o partido.
Pelo que vemos hoje, não existe mais um partido correto, todos roubam, todos estão enganando a população brasileira e se enriquecendo.
Sinceramente, não quero mais estes políticos no governo, seja ele de qual partido for, quero um político correto, que queira fazer o Brasil desenvolver e não decair.
É revoltante ver tudo que está acontecendo em nosso país, um país com tantas riquezas, que produz de tudo, que tem uma ótima mão de obra, pessoas qualificadíssimas.
Eu não vejo que seja a hora de defender um partido.
Como tudo isto que está acontecendo, está na hora de toda a população se reunir e lutar apenas por um objetivo, chega de corruptos, chega de ladrões, pessoas que não querem pensar no país e sim apenas no ganho próprio.
Está na hora de ser uma população de um país que pense todos da mesma forma, que pense no futuro, que queira ver o Brasil crescer.
O Brasil é lindo, um país com muitas riquezas e para melhorar, só depende de nós.