quarta-feira, 24 de maio de 2017

Ser demitido é pior do que se divorciar, mostra pesquisa

Eu nunca fui demitida, mas parei para pensar e realmente deve ser mesmo.
Um relacionamento você coloca na balança e consegue entender os problemas que vinha convivendo.
Mas uma demissão, nem sempre entendemos o motivo que fomos demitidos, a empresa até poderá dar uma explicação, mas será que seria a verdade, se for por redução de custo e de repente alguém é promovido ou uma nova pessoa contratada, daí você já pensa, será que eu era o problema? Será que não estava realizando o esperado pela empresa? Mas porquê não conversaram comigo? Qual era a minha falha? São muitas e muitas perguntas que ficarão pendentes, que nunca saberemos, talvez por isso do resultado desta pesquisa.
Mas abaixo segue a reportagem publicada na revista exame. Boa leitura.

“Simplesmente não está funcionando” talvez seja uma das frases mais dolorosas de escutar - e é ainda pior quando vem do seu chefe.

Londres – “Simplesmente não está funcionando” talvez seja uma das frases mais dolorosas de escutar, porque leva a meses de angústia, auto questionamento e noites em claro. Mas é ainda pior quando essa frase vem do seu chefe.
Funcionários demitidos nunca conseguem recuperar completamente o nível de bem-estar, um indicador que inclui saúde mental, autoestima e satisfação com a vida, de acordo com dados fornecidos à Bloomberg nesta semana de uma análise de mais de 4.000 relatórios de pesquisa.
Perder um emprego pode ser um golpe duro, capaz de causar uma queda maior na satisfação com a vida do que enviuvar ou se divorciar, de acordo com a análise, realizada pela Universidade de East Anglia e do What Works Center for Wellbeing, um órgão independente montado pelo governo do Reino Unido.
Pessoas desempregadas vão ficando cada mais infelizes à medida que passam os anos. Sua maior esperança é encontrar um novo trabalho permanente — de preferência, com salário alto e muito prestígio — que consiga aliviar parte do choque.
Pessoas que perdem um parceiro, por outro lado, podem se recuperar.
“Depois que alguém perde um parceiro, [o bem-estar] cai profundamente e depois, em geral, volta aos níveis anteriores”, disse Tricia Curmi, do What Works Center for Wellbeing. “No entanto, não observamos isso em relação ao desemprego.”
O bem-estar dos homens britânicos volta aos níveis normais dois anos após a perda de um cônjuge e quatro anos após o fim de um relacionamento.
Mas e com a perda do emprego? Esse bem-estar continua declinando durante mais de quatro anos. Os homens têm maior probabilidade de sofrer mais com esse abalo do que as mulheres.
As pessoas podem superar lutos e divórcios. A empolgação de conhecer uma pessoa nova após uma separação pode fazer o coração disparar, mas as pessoas continuam sofrendo com o desemprego, de acordo com uma meta-análise de pesquisas realizada em 2011 por acadêmicos da Universidade Livre de Berlim.
Não há provas suficientes para afirmar irrefutavelmente por que ser despedido é tão devastador, mas pesquisadores vinculam isso à importância que damos a ter um emprego significativo.
“Nesta sociedade, ter um objetivo na vida significa estar trabalhando, contribuindo e ter esse status”, disse Curmi.
Apesar de resmungarem, as pessoas realmente dão importância para o trabalho que têm e ao apoio social que recebem dos colegas de trabalho.
Quase metade dos trabalhadores do Reino Unido está satisfeita com seu emprego e apenas 25 por cento estão insatisfeitos, de acordo com um relatório publicado no mês passado pelo Chartered Institute of Personnel and Development, uma associação de recursos humanos.
O impacto de ser demitido é particularmente acentuado entre trabalhadores mais jovens, mostra a pesquisa.
Ajuda da família e dos amigos pode aliviar os impactos piores. Pessoas extrovertidas se recuperam mais rapidamente, e até completamente, segundo a pesquisa.
A inspiração divina pode ajudar a aliviar a dor, disse Curmi. “Pessoas que frequentam igrejas regularmente sentiram um efeito de proteção em relação ao impacto do desemprego”, disse ela.
Fonte: exame.com

 

segunda-feira, 22 de maio de 2017

O caos político em um país chamado Brasil

Desde quando eu comecei a conhecer a política, sei que existe corrupção, pois sempre ouvia, todo político é ladrão.
Daí era de uma forma generalizada, que nem sempre é a verdade, mas sempre tinha a percepção de que a corrupção existia.
Mas até então, apenas ficava no fala, fala, não era descarada a roubalheira, existia, mas a gente não via aonde acontecia.
Agora começaram a contar, quem rouba, como rouba, aonde rouba, quem prejudica, quem se beneficia.
É tanta gente roubando, são tantos bilhões de reais, que é de ficar indignada mesmo.
Como que a ganância chega a este ponto.
Os políticos em si, já ganham tanto por pouco trabalho, possuem tantos benefícios, regalias, mesmo assim roubam.
E não é pouco, roubam para todos os lados.
Milionários roubam, políticos que já são ricos de berço roubam, gente, aonde vamos parar.
Não sou de direita e nem de esquerda, sou da política correta, daquele que realmente quer governar um país, daquele funcionário público que quer trabalhar e não se encostar, não importa o partido.
Pelo que vemos hoje, não existe mais um partido correto, todos roubam, todos estão enganando a população brasileira e se enriquecendo.
Sinceramente, não quero mais estes políticos no governo, seja ele de qual partido for, quero um político correto, que queira fazer o Brasil desenvolver e não decair.
É revoltante ver tudo que está acontecendo em nosso país, um país com tantas riquezas, que produz de tudo, que tem uma ótima mão de obra, pessoas qualificadíssimas.
Eu não vejo que seja a hora de defender um partido.
Como tudo isto que está acontecendo, está na hora de toda a população se reunir e lutar apenas por um objetivo, chega de corruptos, chega de ladrões, pessoas que não querem pensar no país e sim apenas no ganho próprio.
Está na hora de ser uma população de um país que pense todos da mesma forma, que pense no futuro, que queira ver o Brasil crescer.
O Brasil é lindo, um país com muitas riquezas e para melhorar, só depende de nós.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Para pensar

“Nesta vida temos três professores importantes: o Momento Feliz, o Momento Triste e o Momento Difícil. O Momento Feliz mostra o que não precisamos mudar.
O Momento Triste mostra o que precisamos mudar.
O Momento Difícil mostra que somos capazes de superar.”
 
Roberto Shinyashiki

sábado, 4 de fevereiro de 2017

A informação para um desinformado

De que adianta querer falar sobre um assunto que leu se nem sabe o que realmente quer dizer, o motivo do assunto.
Querer parecer informado se nem possui um know how, nem sabe do assunto e também não busca informação antes de qualquer discussão.
Leu uma nota, ou uma matéria e não entender, é a mesma coisa que não ler.
Com pessoas assim, o que faremos, apenas deixamos de lado, ouvimos, mas não adianta prolongar o assunto, pois é a mesma coisa que discutir com uma parede, sem ter um retorno, sem ter uma conversa produtiva ou agradável.
Mas existem todos os tipos de pessoa e temos que saber e aprender a conviver com todas.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

38 empresas estão em busca de estagiários e trainees.

Hoje é último dia para se inscrever no programa de trainee da Volkswagen, do Banco Alfa e para estágio na Heineken

Chega de hipocrisia

Nós apenas criticamos o governo por toda a crise que o país vem passando.
É claro que eles roubam, existe muita corrupção, mas vamos deixar a hipocrisia de lado e analisar o que estamos fazendo para melhorar.
Quantas coisas vemos errado, fazemos errado e achamos "o mundo é dos espertos".
Se um quer passar a perna no outro, isso também não seria querer que o país afunde?
Cada vez mais os impostos estão com altas alíquotas, as tarifas aumentam, a corrupção está presente de forma explícita, tudo isto nós culpamos o governo.
Mas e quando você passa um semáforo vermelho, quando você paga um policial para não levar multa, quando deixa de trabalhar mesmo recebendo o salário integral, quando fura uma fila, quando compra um produto falsificado ou até mesmo roubado, entre muitos outros exemplos de erros que cometemos e que não nos torna uma pessoa honesta.
Sei que não é fácil, mas não basta culparmos apenas os outros, também temos que buscar o correto para que as coisas se tornem certas.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

7 segredos para deixar o seu currículo mais atraente

São Paulo — A dificuldade de ser contratado em meio à crise brasileira tem um efeito incontornável: além de investir como nunca em qualificação, é preciso lançar mão de recursos cada vez mais criativos e sofisticados para se diferenciar da concorrência.
A batalha por um emprego já começa na estratégia de confecção do currículo. A forma e o conteúdo do documento compõem o “cartão de visitas” de um profissional: a depender desses fatores, o recrutador pode eliminá-lo de cara ou resolver chamá-lo para uma entrevista.
Além de uma estrutura adequada, o CV precisa ter certos atrativos para fisgar a atenção do headhunter, estimular uma leitura mais atenta e comunicar rapidamente o potencial do candidato para preencher a vaga.
Recrutadores ouvidos por EXAME.com contam alguns segredos que tornam o documento mais convidativo. Confira a seguir:
1. Transforme parágrafos em listasGrandes blocos de texto desestimulam a leitura — ainda mais no caso de um recrutador cansado de examinar tantos currículos. Na hora de descrever as atribuições que você teve em cada emprego, troque os parágrafos por listas de frases ou bullet points. Pode parecer só um detalhe, mas esse formato mais “digerível” impedirá que o seu currículo seja descartado simplesmente por parecer cansativo, diz Lucas Nogueira, gerente de divisão da Robert Half.
2. Use fontes clássicas e prefira uma formatação arejadaSteve Jobs dizia que design não é a aparência de uma coisa; é como ela funciona. Currículos não são iPhones, mas também obedecem à máxima do criador da Apple: seu efeito sobre o leitor depende muito do seu visual. Segundo Nogueira, CVs atrativos usam fontes sóbrias e fáceis de ler, como Arial ou Times New Roman. O espaço ideal entre as linhas é de 1,5 e é importante inserir espaços entre os parágrafos para “oxigenar” a página.
3. Diga o máximo possível com poucas palavrasUma redação clara e concisa é um dos segredos de um currículo atraente. “O texto deve ser o mais enxuto possível, isto é, deve conter uma apresentação resumida das informações mais relevantes sobre você”, diz Larissa Meiglin, psicóloga e supervisora de consultoria ao candidato da Catho. Ser objetivo não significa ser lacônico ou impreciso: o ideal é comunicar tudo e apenas o que importa, sem sobrar nem faltar nada.
4. Use palavras-chave da sua áreaAo pegar um currículo nas mãos, o recrutador não faz uma leitura linear, do início ao fim. Sua primeira atitude é percorrer o documento rapidamente com os olhos, por cerca de 10 segundos, em busca de expressões básicas que indiquem o perfil daquele profissional. “É fundamental que o currículo tenha palavras-chave da sua área, como nomes de sistemas, linguagens, projetos e certificados específicos no caso de um profissional de TI, por exemplo”, orienta Nogueira. Ao “bater o olho” nesses termos, o avaliador já terá uma ideia de que tipo de profissional você é e poderá se dispor a uma leitura mais atenta.
5. Ponha o mais importante no começoOutra forma de favorecer uma rápida compreensão do documento é organizar as informações por ordem de relevância, isto é, do mais ao menos pertinente para a vaga em questão. A dica de Luís Fernando Martins, diretor da Hays Response, é usar a primeira página como uma espécie de folha de rosto, na qual deve constar um “mini currículo” com os dados mais importantes sobre a sua formação, experiências, qualificações e diferenciais. Na segunda página, você pode apresentar essas informações com mais detalhes.
6. Mostre algo da sua personalidadeAo contrário do que muita gente acredita, é perfeitamente aceitável e até recomendável incluir algo sobre as suas atividades extracurriculares no currículo. Pratica natação há vários anos? Participa de uma ONG que planta árvores pela cidade? Criou uma banda de blues? Segundo Martins, vale mencionar essas atividades para mostrar um pouco de quem você é fora do escritório. “Hoje as empresas têm valorizado muito o aspecto comportamental do candidato, então um currículo que traz dados dessa natureza chama bastante atenção”, explica. Só evite o autoelogio: falar sobre o seu perfil pessoal é diferente de se descrever como alguém perseverante, dedicado ou criativo , por exemplo.
7. Faça um documento “sob medida”O segredo definitivo para fazer um currículo atraente é adaptá-lo às expectativas e características específicas do potencial empregador. Quanto mais customizado, melhor. Se a empresa busca um profissional com perfil ligado à gestão de projetos, por exemplo, coloque em evidência todos os cursos e experiências que você já teve na área. Se o empregador é uma startup “descolada”, aposte em um layout mais criativo e destaque os seus projetos mais arrojados. “Em vez de mandar um currículo genérico, envie algo que você fez pensando especialmente no estilo e na cultura daquela organização e nas exigências da vaga”, orienta Meiglin. “Só isso já é suficiente para colocar um candidato a anos-luz da concorrência”.

Fonte: http://exame.abril.com.br/carreira/7-segredos-para-deixar-o-seu-curriculo-mais-atraente/